quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Super time debate legado da Copa 2014


O presidente da Comissão Especial de Acompanhamento e Apoio à Copa do Mundo de Futebol de 2014, da Câmara Municipal da capital, Airto Ferronato, convocou reunião para debater questões relacionadas ao metrô, rodoviária, ponte de Porto Alegre a Guaíba, cais internacional e investimentos em energia elétrica, na manhã desta quinta-feira (15/9). O encontro teve a participação do secretário de Infraestrutura e Logística do Estado, Beto Albuquerque, do presidente da CEEE, Sérgio Dias, do Diretor de Transportes Rodoviários do DAER, Saul Sastre e do Superintendente de Portos e Hidrovias do RS, Vanderlan Vasconcelos.






Sobre a instalação das subestações de energia no Estado, o presidente da CEEE, Sérgio Dias comunicou aos vereadores que serão 101 novas subestações com investimento previsto de R$ 980 milhões. Ferronato  pediu para que o programa Luz para Todos Urbano seja acelerado e levado ao maior número possível de comunidades.



Sobre o metrô, Albuquerque fez questão de salientar que o governo do Estado tem ofertado contrapartidas como isenção fiscal para instalação desse meio de transporte em Porto Alegre. “Já acenou com a renúncia de tributos em torno de R$ 350 milhões para essa obra”.

O secretário falou ainda sobre o terminal internacional, junto ao Guaíba. Segundo ele, esse trabalho vem sendo feito junto ao governo federal que já acenou com um investimento aproximado de R$ 18 milhões. “São recursos que deverão ser usados para fazer o balizamento do canal para uso noturno”.

Em relação à ponte que ligará Porto Alegre e Guaíba, comunicou que o investimento previsto somente na construção da ponte gira em torno de R$ 900 milhões. Beto informou que estão sendo estudadas duas possibilidades para viabilizar a obra.

Uma das opções, conforme informou, seria pela Avenida Dona Teodora, custeada pelo governo federal. A outra, segundo o secretário, seria feita pela Concepa que é a detentora do contrato atual da ponte.



Beto Albuquerque também explanou sobre as estações rodoviárias no Estado. “Todas sofrerão novas licitações em relação às concessões. Já estamos debatendo com a Agers o novo modelo dos editais”, disse o secretário considerando que a grande maioria está em situação precária, lembrando que todas estão relacionadas diretamente com o evento da Copa 2014.
Sobre a rodoviária da capital, disse que "também passará por processo licitatório, porém, aqui a realidade é outra”. Já Saul Sastre, diretor de Transportes Rodoviários do Daer, disse que para a reformulação da estação rodoviária de Porto Alegre a intenção é fazer um concurso público.


Para Ferronato a rodoviária está em um ponto estratégico para a cidade, o que ela precisa é de reformas internas e viárias em seu entorno. A rodoviária está no coração do centro, junto ao Caís Mauá e ao projeto do terminal hidroviário internacional, comentou. Ferronato lembrou também que foi de sua autoria a ideia de prolongamento da Ramiro Barcelos até a Castelo Branco. "Uma obra barata e de grande resultado".



Vanderlan Vasconcelos falou sobre o projeto de revitalização do Cais Mauá e a hidrovia que ligará Porto Alegre e Guaíba. “Ontem apresentamos para a Marinha o registro para permissão da travessia e o início do transporte está previsto para o mês de outubro próximo”, resumiu o superintendente do SPH. Continuando, ele disse que para solução do problema, foi buscado o canal natural do rio sem precisar de dragagem e que as bóias de segurança serão fornecidas pela empresa que fará a exploração da hidrovia.


Em relação à energia elétrica, para atender as exigências para a Copa do Mundo, Beto disse que está prevista a instalação de uma subestação de energia ao lado do Estádio da Beira-Rio, num valor estimado de U$ 300 milhões. Segundo ele, basta a liberação de uma licença da área por parte da prefeitura da capital para início das obras. Ferronato completou que esta obra é muito importante para a cidade, mas ela tem que ocupar o menor espaço possível e vir acompanhada de obras de arte para que o visual fique arquitetonicamente embelezado e não poluído.

Nenhum comentário:

Postar um comentário