sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Deu no site da Câmara Municipal: Ferronato quer verbas para deslocamento de idosos

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, o projeto de lei complementar de autoria do vereador Airto Ferronato (PSB) que dispõe sobre a aplicação de, no mínimo, 10% dos recursos do Fundo Municipal do Idoso para custear despesas de deslocamento domiciliar para a realização de exames laboratoriais, bem como de deslocamento de psicólogos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas, até a residência de idosos sem condições de locomoção. 

O objetivo é complementar à política de assistência à saúde domiciliar do idoso, quando justificável pela Secretaria Municipal da Saúde. A proposta prevê que os 10% sugeridos sejam aplicados também para incentivar o acolhimento de idosos em caráter provisório ou, excepcionalmente, permanente, quando esgotadas todas as possibilidades de auto-sustento e de convivência harmônica com seus familiares. Dificuldades de locomoção 

 O vereador lembra que boa parte da população idosa, mais vulnerável fisicamente em decorrência do avanço da idade, convive com enfermidades que dificultam sua locomoção. Segundo ele, apesar dos valores referentes a 10% serem pequenos em relação ao montante recebido pelo Fundo - que, somente nos seus primeiros quatro anos de existência (2011 a 2014), já arrecadou aproximadamente R$ 35 milhões - poderá ser fundamental para ajudar os idosos que não possuem condições financeiras de bancar mais esse custo, tendo em vista que muitos já gastam boa parte de suas aposentadorias na aquisição de medicamentos. 

 Ferronato lembra que, para atender a essas pessoas no ambiente familiar, a prefeitura já dispõe, em algumas regiões, do serviço de atendimento domiciliar, com equipes compostas por médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem, podendo, também, comportar fisioterapeutas e assistentes sociais. O trabalho dessas equipes é custeado por meio de parceria entre o Município e o governo federal. “No entanto, quando algum paciente precisa realizar exames laboratoriais, o custo do deslocamento da equipe do laboratório de análises clínicas não está incluído em nenhum programa governamental”, informa. (Da Assessoria de Imprensa da CMPA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário